a.03.6. Solos coesivos

As resistências ao escorregamento e arrancamento dos reforços com geogrelha, em solos coesivos sob condições de carregamento drenado, podem ser avaliadas através das equações acima se forem usados valores apropriados do ângulo de atrito efetivo drenado. É recomendável, no entanto, que valores medidos em ensaios da resistência ao deslizamento e ao arrancamento sejam selecionados como valores de projeto, caso não haja dados concretos de desempenho.

A seleção de valores de projeto para solo argiloso, reforçado com geogrelha, submetido a carregamento não drenado, deverá ser baseada em ensaios de campo e de laboratório.

A resistência ao arrancamento por unidade de largura da geogrelha de reforço não tem sido estudada, mas numa abordagem experimental pode ser considerada a resistência do solo nos elementos de suporte, de forma similar a equação de capacidade de carga convencional. Dessa consideração resulta:


A resistência total contra os elementos de suporte não deve exceder a força que causa a ruptura num plano no interior do solo coesivo, paralelo a geogrelha, isto é:


O multiplicador 2 é usado porque a ruptura pode ocorrer em ambos os lados da geogrelha. Se for ignorada a contribuição da tensão total no suporte da carga (a qual é provável que seja relativamente pequena), a equação fica simplificada: