2.7. Resistência de Interface

A BS 8006 (1995) recomenda que a resistência de interface do reforço, em contato com o solo do aterro, ao arrancamento e ao deslizamento, deve ser avaliada com base nos resultados de ensaios de cisalhamento direto realizados pelo método de ensaio BS 1377-7 ou BS 6906-8. Esse ensaio pode ser realizado também pela ASTM D 5321.

Conforme a BS 8006, a ruptura na interface solo-geossintético em muros e taludes deve ser avaliada usando a resistência de pico, reduzida por um fator de segurança parcial. Em reforço de fundações a ruptura na interface solo-geossintético deve ser avaliada usando a maior deformação da interface, reduzida por um fator de segurança parcial.

O ensaio de cisalhamento direto é adequado para controle de qualidade do geossintético, e o ensaio de arrancamento realizado no laboratório e in situ é mais apropriado para avaliar as características de carga-deslocamento no que diz respeito ao desempenho do reforço, em termos de deformações aceitáveis (BS 8006, 1995).