3.2. Diferenciação entre Muro e Talude

A introdução do reforço de geossintético no solo reforçado redistribui as tensões e deformações e permite a construção de estruturas do tipo muros de contenção, com face vertical, ou quase vertical, e de taludes íngremes, com inclinação até 70º (aproximadamente 2,5V:1H), usando um volume menor de aterro compactado, Figura 12. A possibilidade de uso de solos disponíveis no local da obra, pode reduzir de forma significativa o custo da estrutura de solo reforçado em comparação com soluções convencionais, como mostrado na Figura 10.

Os solos reforçados são constituídos de três elementos: reforço, aterro ou solo local, e elementos da face. Os muros são projetados quando a inclinação do talude em relação a horizontal é superior a 70º. Os elementos usualmente empregados na face são: painéis pré-fabricados de concreto, blocos de concreto, StrataSlope (gaiolas metálicas preenchidas com material granular), geocélulas; além destes, podem ser usadas faces envelopadas com o próprio geossintético de reforço e protegidas com vegetação ou concreto projetado. As Figuras 13 a 15 mostram situações distintas de talude sem e com reforço.

Vertematti (2004) cita que são inúmeras as vantagens da utilização de geossintéticos como elemento de reforço, do ponto de vista executivo, uma vez que:

  • Possibilita a construção de taludes mais íngremes;
  • Minimiza o impacto ambiental causado pelas obras de contenção;
  • Permite a adoção de vários tipos de acabamento de face dos taludes;
  • Permite a execução em locais de difícil acesso;
  • Utiliza equipamentos simples e mão de obra não qualificada;
  • Reduz consideravelmente o tempo de execução da obra.