1.0 Introdução

Quando cargas de tráfego são aplicadas ao solo e transmitidas ao subleito, o solo não se deformará ou formará trilhas de rodas se a resistência ao cisalhamento do solo for maior que as cargas aplicadas. A resistência do solo é uma função de características como ângulo de atrito interno, coesão e grau de compactação.

A maioria dos sistemas de apoio de estradas e estacionamentos consiste de uma ou mais camadas de material de aterro de boa qualidade colocado e compactado sobre o solo do subleito. Os materiais de aterro permitem que o sistema de apoio suporte cargas de tráfego que somente o solo não seria capaz de suportar. A função da(s) camada(s) do material de base é distribuir as cargas aplicadas sobre uma área grande, reduzindo assim a pressão (carga dividida área), a qual é transferida para o subleito. O material da base é capaz de distribuir as cargas aplicadas porque as partículas individuais do agregado travam-se entre si. As cargas aplicadas são transmitidas através do material da base como forças verticais e horizontais.

Se as forças horizontais (laterais) empurram o material da base, desenvolve trilhas de rodas, resultando numa camada mais na, menos capaz de resistir cargas adicionais aplicadas que acabam levando à ruptura da camada. Mesmo um material de base de boa qualidade, com resistência interna apropriada e com intertravamento das partículas, pode ser forçado a se mover lateralmente.

O material de má qualidade do subleito em contato com o material da base não fornece o ângulo de atrito adequado na interface para restringir o movimento.