Aula Anterior Continue  

  3.4. Ancoragem do Reforço

ara que a estabilidade do aterro seja garantida, o comprimento de ancoragem do reforço deve ser corretamente calculado, a partir do ponto de interseção da superfície circular crítica de deslizamento com o reforço, como mostra a Figura 81.

O comprimento de ancoragem, Lanc, para o geotêxtil, geossintético que apresenta a superfície contínua, pode ser obtido por (Palmeira, 1992; Vertematti, 2004):

Em que:

Lanc: comprimento mínimo de ancoragem;

Fanc: fator de segurança contra a ruptura por deficiência de ancoragem (geralmente ≥ 1,5);

T: esforço de tração no reforço;

tas: tensão de aderência na face superior do reforço.

Para geossintéticos com superfície descontínua, como as geogrelhas, a penetração do solo compactado nas malhas permite uma maior interação solo/geogrelha, e o cálculo do comprimento de ancoragem deve levar em conta o coeficiente de interação, Ci.

O comprimento Ls, Figura 81, à esquerda da interseção do reforço com a superfície circular crítica, também deve atender às condições de ancoragem, com cálculo e raciocínio similar ao utilizado na equação (59).

Se o comprimento do reforço for insuficiente para atender aos requisitos de ancoragem, pode-se aumentar a resistência, devido à ancoragem do reforço, fazendo-se o envelopamento da camada de aterro, de modo análogo à ferragem no concreto armado (Vertematti, 2004).