Aula Anterior Continue  

  3.1. Ruptura Global

m ruptura rotacional profunda, Figura 75e, são geradas forças de tração no reforço basal, através de mecanismo similar aos desenvolvidos em muros e aterros reforçados, e embora a força de tração induzida no reforço basal seja axial e horizontal, esta origina um momento resistente no centro do círculo de ruptura considerado. Como consequência, o momento atuante é reduzido, como também as altas tensões cisalhantes que causariam a ruptura do aterro e/ou do solo de fundação. À medida que ocorre o adensamento do solo de fundação e a resistência ao cisalhamento aumenta, aterro e fundação poderão resistir às altas tensões cisalhantes aplicadas sem auxílio do reforço. Uma vez atingido o adensamento do solo de fundação, o reforço basal se tornará desnecessário.

Dessa forma, a vida de serviço necessária para o reforço é somente o tempo necessário para que o solo de fundação atinja o adensamento previsto em projeto. A resistência que deve ser projetada para o reforço será função das tensões necessárias para promover as estabilidades lateral e rotacional do aterro e da fundação, BS 8006 (1995).

Figura 75 (a-e)